Rachel Sheherazade é afastada após SBT receber representação da Procuradoria Geral da República
Portal Almanaque
Por Leandro Lima, em 31/03/2014 às 11:57 Rachel Sheherazade é afastada após SBT receber representação da Procuradoria Geral da República
Compartilhar

Após a Procuradoria Geral da República aceitar a representação feita pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB/RJ) contra a jornalista Rachel Sheherazade, do ‘SBT Brasil’, o canal concedeu férias a partir de hoje (31/03) A âncora do telejornal.

Rachel tem previsão de retorno em 14 de abril. Até lá,  Cynthia Benini assume de forma interina a apresentação ao lado de Josival Peixoto.

APOLOGIA E  INCITAÇÃO À TORTURA E AO LINCHAMENTO

Jandira Feghali (PCdoB/RJ) alegou que a apresentadora cometeu o crime de apologia e incitação à tortura e ao linchamento na bancada do telejornal. “É público e notório que a jornalista do SBT, Rachel Scherazade, no episódio do jovem negro que foi amarrado nu a um poste, defendeu publicamente, no programa de televisão que apresenta, a ação dos agressores”, escreveu no texto de representação.

O procurador responsável pelo caso, Rodrigo Janot, fará uma análise de vídeos de Rachel para avaliar se as opiniões dela violaram ou não o Código Penal.

O procurador-geral a República, Rodrigo Janot, deve se reunir nos próximos dias com o subprocurador responsável pela condução da representação feita pela deputada Jandira Feghali

Segundo o portal IG, Janot fará uma análise dos vídeos da jornalista para avaliar se as opiniões manifestadas por ela violaram ou não o Código Penal. Jandira alega em sua representação que o SBT de Sílvio Santos e Sheherazade fizeram apologia e incitamento ao crime, à tortura e ao linchamento.

No mais polêmico de seus comentários, a apresentadora defendeu a ação de justiceiros que espancaram, despiram e acorrentaram a um poste um menor negro no Rio de Janeiro. O ato foi seguido de diversas ocorrências semelhantes em todo o Brasil.

Informações Portal Comunique-se/IG. Foto Divulgação SBT

 

 

Tags:,
  • Livia Fernanda

    Uma deputada comunista e dona de delivery querendo incriminar uma jornalista, porque o que ela disse foi deturpado???? Sei… #ditaduramaldita

  • Rodrigo

    Não houve incitação ao crime, mas, somente, o direito à informação e o direito à expressão. Ele retratou um fato. Em momento algum incitou o crime. Em vários outros canais de TV os jornalistas, apresentadores, expressam suas opiniões e nunca foram censurados.

    Todos nós, brasileiros, temos direito ao acesso à informação e a Rachel Sheherazade estava lá para nos trazer as informações. Quem não gostasse, que mudasse de canal. Em um país democrático deve haver o livre tráfego de ideias para que assim o país como um todo possa chegar a um bem comum. Censurar é a arma mais covarde e patética que existe.

    Além de que, no caso do bandido, não houve crime por parte das pessoas, mas apenas legítima defesa. Como o Estado não estava presente para proteger as pessoas do assalto, as mesma podem se auto defender, pois ninguém é obrigado a suportar uma lesão injusta sem poder se defender.

    Estão distorcendo as coisas e logo não poderemos nem usar a internet. Acordem que a ditadura comunista está se implantando no Brasil.

    • Roberto Lobo

      Esta jornalista tinha é que se candidatar para próximas eleições.

  • Lari

    Aonde tem apologia ao crime? Passar a mão na cabeça em um menor de idade também não é apologia ao crime? Essa historinha de ato infracional e ficar detido em fundação do caramba a quatro, não é incitar mais ainda o crime? Bota preso, pega pena prevista no código penal. Se fazem crimes como um adulto, devem responder como adultos tb!

  • Antonio Ferreira de Carvalho

    Estranho, num país onde a ordem pública está bastante comprometida pelos crimes, vandalismos e outros ísmos entendermos essa NOTITIA CRIMINIS da Deputada. Ora, a Realidade não pode ser negada por um jornalista e o Brasil está no rumo da anarquia. Fundamento essas palavras apenas pelo “estado de sítio” que está sendo montado para garantir a realização da Copa do Mundo com a mobilização inclusive das forças armadas. De tudo isso se pode concluir que normalmente nossa segurança é zero e os cidadãos, por vezes, são impelidos, a agir fora da razoabilidade em defesa da vida e de seus direitos constitucionais básicos. No fundo, Rachel Sheherazade já tem muita audiência e fãs. Por sua vez, a ilustre Deputada está fora da realidade brasileira. Demais, aplicar o Código Penal e sobre ele manifestar-se é obra para juristas, status a que poucos deputados alcançam. Resta a Rachel, ao final de tudo, processar a ilustre Deputada por denunciação caluniosa, crime previsto no Código Penal. Aliás, ninguém é dono da verdade e Deputado é sempre suspeito ao externar seus pensamentos políticos e ideologias, notadamente usando a busca da Justiça. A verdade virá com o tempo.